Reunião sobre o plano de vacinação contra a COVID-19 para os trabalhadores da educação

Prefeitura de Bragança reuniu para tratar sobre o Plano Municipal de Vacinação contra a Covid-19 para atender aos trabalhadores da educação, docentes e não docentes. A proposta foi aprovada por todos os representantes de Instituições de ensino (SEMED, URE, UFPA, IFPA, SENAI, Representante das Escolas Privadas) SINTEPP, Conselho Municipal de Educação e Câmara Municipal de Vereadores). O secretário municipal de Saúde e vice-prefeito Dr. Mário Júnior, apresentou o plano que dará início a vacinação para os trabalhadores da educação na próxima terça-feira, 1° de junho.

Para receber a dose da vacina, será necessário apresentar o contracheque mais recente ou carteira de trabalho, um documento de identidade com foto e o CPF. Durante o período de 1° a 10 de junho, a vacinação para os trabalhadores da educação acontecerá em três pontos de drive thru, nas praças da cidade, de 08 às 17h, e também nas Unidades de Saúde na zona rural.

É importante ressaltar que os trabalhadores da educação que tomaram vacina contra a gripe precisam esperar 15 dias para efetuar a vacina contra Covid-19. “Isso não impedirá que os trabalhadores da educação sejam vacinados. A dose deles está garantida”, concluiu o Dr. Mário Júnior.

Participaram da reunião, o secretário municipal de Educação, professor Alexy de Brito; a diretora da URE, professora Karina Quadros; o presidente da Câmara Municipal de Bragança, vereador Fernando Julifer; o presidente da Comissão de Saúde da Câmara Municipal de Bragança, vereador Dr Jonas; o presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal de Bragança, vereador Gleydson Miranda; a enfermeira Lilian Carla, diretora do Departamento de Vigilância Sanitária e Saúde; o professor Nonato Ceará, representando o Sintteps; o professor Francisco Oliveira, coordenador do campus da Universidade Federal do Pará (UFPA); o professor Maurício Ribeiro, coordenador do Instituto Tecnológico do Estado do Pará (IFPA); professor João Rui, representando as escolas profissionalizantes; e professor Jânio Santos, representante das escolas particulares.